Eleitores formam grandes filas nos cartórios eleitorais do Distrito Federal

Brasileiros têm até amanhã (9) para regularizar a situação eleitoral.

Os eleitores têm até amanhã (9) para regularizar a situação eleitoral.

No segundo dia de horário estendido, os eleitores do Distrito Federal formaram grandes filas para regularizar sua situação eleitoral. Somente até as 14h30, o número de senhas distribuídas na 3ª Zona Eleitoral (Taguatinga) era de 275. Na 16ª (Ceilândia), até as 15h, já haviam sido entregues 248 senhas.

 Segundo o Chefe Substituto da 3ª Zona Eleitoral, Reinaldo Oliveira, a média de atendimentos em um dia comum é de 30 pessoas: “O que eles mais procuram é primeiro título e transferência. Sobre a segunda via, a gente até pede pra pessoa que venha depois, já que o eleitor tem até o dia 27 de setembro para solicitá-la. Então, não tem necessidade de ficar aguardando nessas filas. Além disso, há a opção do e-Título.”

Lançado em dezembro do ano passado, o e-Título é o aplicativo que permite aos eleitores acessarem uma via digital do título eleitoral por meio do seu smartphone ou tablet. Para acessá-lo, o eleitor deverá baixar o aplicativo na  Google Play ou na App Store. Ao inserir o número do seu título eleitoral, seu nome, o nome da mãe e do pai e a data de nascimento no aplicativo, documento eletrônico será validado e liberado. E, ao ser acessado pela primeira vez, o título eletrônico será gravado localmente e ficará disponível ao eleitor.

Ademais, os eleitores podem fazer a solicitação de seção especial de votação, que pode ser realizada por qualquer eleitor que necessite de algum auxílio visual, de locomoção ou auditivo. Na direção do cartório há 14 anos, Omar Luiz falou sobre a importância dessa ação: “No início, nós tínhamos muitas dificuldades. Eu já cheguei a carregar eleitor nos braços. O que parecia é que estávamos negando a justiça eleitoral às pessoas. Mas, de 2014 para cá, nós começamos a inserir as seções especiais. O que a gente percebeu é que o eleitor fica mais satisfeito, porque ele se sente valorizado, acessível, independente.”

Além das seções especiais, as eleições de 2018 trouxeram uma atualização importante para a população de transexuais e travestis. Até a próxima quarta, é possível pedir que o nome de registro seja substituído no título pelo nome social. Na fila da 3ª Zona Eleitoral, Evelyn Moreira (17) falou sobre o assunto:  “Eu acho bom, porque cada um será chamado da forma que mais gosta. Acho que fica bom para todos, porque todo mundo fica feliz.” Na 16ª Zona Eleitoral, Maria Júlia Bertoline (20) contou a experiência de um amigo que inseriu o nome social no título: “Depois que ele conseguiu o nome social, nossa, ele é outra pessoa, teve oportunidade de crescer. Ele poderia estar fazendo outra coisa, tipo roubando, numa depressão profunda. Agora,não, ele venceu e está vivendo uma vida, sem dever nada a ninguém. Quando você não tem o seu nome registrado do jeito que você se sente bem, isso mexe demais com psicológico da pessoa.”

Últimas notícias postadas

Recentes

Presidente do TRE-DF é agraciada com Medalha de 50 anos de Serviço Público

A Desembargadora já foi agraciada com as Medalhas do Mérito Judiciário e Eleitoral do TJDFT e do TRE-DF, respectivamente, com a Comenda da Ordem do Mérito do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios – MPDFT, além da Medalha da Ordem do Mérito Brasília, entregue pelo Governo do Distrito Federal.